Translate

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Série Pirâmides do Mundo #030 - Pirâmide de Userkaf


Userkaf foi o primeiro faraó da V dinastia egípcia. O seu nome significa "O seu ka é poderoso".

De acordo com o Papiro Real de Turim, teria reinado durante sete anos; Manetão atribui-lhe um reinado de vinte e oito anos, o que é considerado pouco provável pelos investigadores modernos.

Julga-se que Userkaf fosse já era um homem de idade avançada quando se tornou rei.

Há alguma incerteza em torno das suas origens familiares, mas em geral considera-se que era filho de Neferhetephés, filha da rainha Hetepherés II e do rei Djedefré, o sucessor de Khufu (Quéops).

Não se sabe quem foi o seu pai, avançando-se a hipótese de ter sido um sacerdote da divindade solar Ré oriundo de Heliópolis.

Foi casado com Khentkhaus I, filha de Miquerinos, com a qual gerou dois futuros reis egípcios, Sahuré e Neferirkaré.

A rainha Khentkhaus ocupou uma importante posição durante o seu reinado, tendo o seu túmulo (um pirâmide inacabada) sido construído em Giza (Gizé).

Ao nível das políticas internas, não se registam mudanças significativas em relação à IV dinastia, tendo vários funcionários da dinastia anterior continuado a exercer funções. O nome de Hórus deste rei foi Irimaet, o que significa "fazedor de Maet". A maet (ou maat) era a ordem divina caracterizada pela justiça e pelo equilíbrio; Userkaf, ao adoptar este nome, assumia-se como preservador desta ordem.

Os mais antigos contatos entre o Egito e o mundo Egeu ocorreram no seu reinado, como atesta um vaso com o seu nome encontrado na ilha de Kythira.


Pirâmide de Userkaf em Sakara


Userkaf mandou construir um templo solar em Abu Gurab (que tinha o nome de Nekhen Ré), que se julga ser uma réplica de um templo solar de Heliópolis.


Um templo solar era uma estrutura dedicada ao deus Ré, constituída por um templo do vale que comunicava com um templo superior (o templo solar propriamente dito) através de uma calçada.

No templo superior existia um grande obelisco e um altar ao ar livre, onde se realizavam as oferendas.

Os reis da V dinastia continuarão a construir templos solares em Abu Gurab e a cercana Abusir, conhecendo-se o nome de seis templos solares, tendo apenas dois sido descobertos (o de Userkaf e de Niuserré).
Ordenou igualmente a ampliação do templo de Montu em Tod, no Alto Egito.

A pirâmide de Userkaf, situa-se a nordeste do complexo de Djoser em Sakara (que na época datava já duzentos anos), tendo o rei abandonado a necrópole de Gizé utilizada pelos reis da IV dinastia.

Esta pirâmide, cuja altura avalia-se em quarenta e nove metros, encontra-se num estado muito degradado devido ao facto de ter funcionado como pedreira.

O templo funerário apresenta uma característica distintiva: está orientado para sul em vez de este conforme o que seria habitual.