Translate

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Série Pirâmides do Mundo #015 - Pirâmide Great Ziggurat de Ur


O Zigurate de Ur (também conhecido como Grande Zigurate de Ur; em sumério: E-temen-nigur(u), É.TEMEN.NÍ.GÙR(U).(RU), na escrita cuneiforme) significando "casa cujo alicerce cria terror") é um zigurate neo-sumério que se localizava na cidade de Ur, próximo à localidade moderna de Nasiriyah, na província de Dhi Qar, no Iraque. A estrutura de meados da Idade do Bronze (século XXI a.C.) ruiu no período neo-babilônio (século VI a.C.), e o zigurate foi restaurado sob ordens do rei Nebonido.





Suas ruínas foram escavadas nas décadas de 1920 e 1930 por Sir Leonard Woolley. As mesmas ruínas foram envoltas por uma reconstrução parcial da fachada e da escadaria monumental, feita pelo ditador iraquiano Saddam Hussein durante a década de 1980.

O zigurate foi construído por Ur-Nammu para ajudar a reconstruir a economia local, por volta do século XXI a.C. (cronologia curta), durante a Terceira Dinastia de Ur. A gigantesca pirâmide em degraus media 64 metros de comprimento, 46 de largura e mais de 30 de altura; estes números, no entanto, são especulações, já que apenas os alicerces do zigurate sumério sobreviveram até os dias de hoje.

O zigurate era parte de um complexo de templos que servia como centro administrativo da cidade, e era um santuário do deus lunar Sin, padroeiro de Ur.


A construção do zigurate foi concluída no século XXI a.C., pelo rei Shulgi, que havia se proclamado um deus, visando estabelecer seu controle sobre as cidades da região. Durante seu reinado de 48 anos, a cidade de Ur se tornou a capital de um Estado que controlava boa parte da Mesopotâmia.


O Ziggurate de Ur nos dias de hoje: